8ª JORNADAS HOSPITAL VETERINÁRIO MURALHA DE ÉVORA

Quando:
4 Março, 2016 – 5 Março, 2016 durante todo o dia
2016-03-04T00:00:00+00:00
2016-03-06T00:00:00+00:00

8ª JORNADAS

HOSPITAL VETERINÁRIO MURALHA DE ÉVORA

INÍCIO

8as Jornadas do Hospital Veterinário de Évora

Nos dias 4 e 5 de Março, tiveram lugar no Évora Hotel em Évora, as 8as Jornadas do Hospital Veterinário Muralha de Évora. Estas jornadas foram novamente um sucesso com uma lotação de cerca de 500 participantes ligados ao sector agro-pecuário e equino não só a nível da região mas também a nível nacional. Sempre a crescer em número de participantes, estas Jornadas marcam uma vez mais a diferença reafirmando-se, como evento de referência nacional.

Este certame consistiu num conjunto de seminários e workshops, que contou com um total de 38 oradores, agrupados em dois temas – Ruminantes e Equinos – orientados segundo duas temáticas essenciais: “Genética em Ruminantes: Produzir o futuro da sua exploração” e “ O cavalo Atleta: da concepção ao alto rendimento” respectivamente.

A escolha dos temas foi ao encontro das necessidades com que a produção se depara, nomeadamente ao nível de um mercado cada vez mais competitivo, de um produtor e consumidor cada vez mais exigentes e de uma Europa que impõe ao sector cada vez mais obrigações.

Entre os principais oradores destaca-se o Director Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo, Eng. Francisco Murteira, que tão bem transmitiu a importância que a tutela atribui ao melhoramento genético, referindo entre outros pontos a importância do Banco Português de Germoplasma Animal e do Centro de Experimentação do Baixo Alentejo.

De destacar também a presença e participação do Director Geral de Veterinária, o Professor Álvaro Pegado Mendonça, que elogiou o certame e alertou para a problemática do uso indiscriminado de antibióticos em animais referindo os seus impactos negativos ao nível da saúde pública.

Na sala de ruminantes, este círculo de palestras iniciou-se com a intervenção do Professor Luís Telo da Gama que nos apresentou quais as bases do sucesso de um programa de melhoramento genético. Houve também um interessante testemunho de um importante produtor nacional de bovinos, o Sr. João Piedade Correia que em conjunto com o seu médico veterinário, o Dr. João Camejo, partilharam as suas experiências relativamente à importância na escolha das raças e do seu melhoramento na linha pura, e ainda o rigor na utilização de F1 como forma de aumentar a produtividade das explorações. Destaque também para os oradores internacionais Pierre Roy, Sebastién Arico e Sandrine Dufeu.

Houve também participações dinâmicas como a da Drª Sónia Germano, do Núcleo de Reprodução e Fertilidade do Hospital Veterinário Muralha de Évora sobre os benefícios do melhoramento genético nas explorações, assim como a apresentação da Engª Fátima Veríssimo sobre “ Como seleccionar as fêmeas para a sua vacada?”. De referir também a presença do Professor Nuno Carolino e do Professor Carlos Bettencourt, investigadores na área do melhoramento animal, que nos trouxeram interessantes temas tanto de bovinos como de pequenos ruminantes.

No segundo dia das Jornadas, assistimos a um interessante Simposium sobre IBR e BVD, duas doenças causadas por vírus e que têm um forte impacto na reprodução e produção das explorações de bovinos. Foram apresentados os programas voluntários de controlo de IBR e BVD: Bovicontrol pela Drª Adelaide Pereira (Segalab) e Bovicare pela Drª. Sílvia Lopes (Coprapec); a importância da biossegurança para o sucesso dos mesmos foi abordada pelo Professor Telmo Nunes numa palestra bastante interactiva. Para finalizar, a Drª Maria do Carmo Caetano apresentou-nos as perspectivas de enquadramento legal destes programas, afirmando que a “dead line” para que os mesmos tenham um carácter obrigatório vai depender sobretudo do “envolvimento dos agrupamentos de produtores pecuários” e da “urgência que a própria produção reconheça em implementa-los, tomando consciência das suas vantagens”…” já que pertencemos a uma Comunidade onde existem vários países livres destas doenças, que a qualquer momento nos podem impor restrições à comercialização tanto de carne bovina como de animais vivos”.

Contámos ainda com o Dr. Ignácio Arnaiz e o Dr. Manuel Cerviño que nos transmitiram quais os desafios com que se deparam na implementação destes programas em Espanha.

Dois temas bastante interessantes encerraram este segundo dia de Jornadas: “Descorna em vitelos de carne- o porquê da sua utilização, enquadramento legal, vantagens e desvantagens” pelo Professor Ricardo Romão e a apresentação do projecto VITAPEC- como melhorar o rendimento das recrias de bovinos de carne”.

O segundo dia ficou também marcado por vários Workshops: Diagnóstico e controlo de doenças infecciosas em bovinos com impacto na fertilidade (Zoetis), Aspectos práticos na selecção de fêmeas (MSD) que teve lugar na Quinta da Fonte Santa, pertencente a Joaquim José dos Santos Prates, seleccionador de bovinos de raça Limousine, e Medicina de produção em Feedlots (Hipra) que teve lugar na Herdade dos Currais, pertencente à Associação de Criadores de Bovinos Mertolengos.

No âmbito dos equinos, o primeiro dia das Jornadas foi repleto de palestras sobre o cavalo de desporto. A sessão de abertura contou com a presença do Dr. Manuel Cidade Moura, presidente da Federação Equestre Portuguesa, entidade que tutela o desporto equestre em Portugal. Além de elogiar o trabalho realizado durante as várias edições destas jornadas na formação de criadores, cavaleiros, proprietários, tratadores, ferradores e veterinários ligados ao mundo do cavalo o Dr. Manuel Cidade Moura realçou a importância crescente do desporto equestre nas várias modalidades, bem como os resultados cada vez melhores que têm sido obtidos por cavaleiros e cavalos portugueses em competições internacionais.

Realmente só criando um cavalo atleta desde a sua concepção, passando pelas várias fases do seu desenvolvimento, é possível chegar ao alto rendimento nas várias modalidades.

Foi um pontapé de saída para um dia que começou com a importância da selecção dos progenitores para obter um cavalo de desporto. Nesta palestra, a Drª. Cristina Cosinha apresentou os diversos aspectos desejáveis e indesejáveis num reprodutor, nomeadamente a importância de despistar defeitos e doenças hereditárias de forma a não comprometer o futuro atlético dos descendentes. Seguidamente a Drª Liliane Damásio da Equimuralha falou da gestação ideal para um futuro atleta realçando a importância do acompanhamento da égua de forma a prevenir e evitar problemas no futuro atlético do poldro. Posteriormente, o Dr. Tomé Fino da Equimuralha em conjunto com o João Susano (ferrador), falou sobre a fase do nascimento ao desmame do poldro, fase em que é absolutamente fulcral a correcção de aprumos. Seguiu-se a fase do desmame ao desbaste do poldro; numa palestra SF Feeding a Drª Maria João Baldaia aprofundou temas como a nutrição, exercício, e o diagnóstico precoce de problemas ortopédicos. O Dr. Tiago Guimarães deu também a conhecer novas ferramentas digitais que possibilitam a optimização da gestão de clínicas, coudelarias e centros hípicos. Durante a tarde seguiram-se palestras específicas sobre as várias modalidades do desporto equestre onde perante uma animada e participativa audiência se falou sobre a maximização do rendimento de cavalos de toureio/equitação de trabalho (pela Drª Teresa Falcão), obstáculos/concurso completo de equitação (pela Drª Rita Rocha Pires), endurance (pelo Dr. Tomé Fino) e dressage (pelo Dr. Gaspar Castellinjs). No final realizou-se uma interactiva e interessante mesa redonda sobre o alto rendimento no cavalo de desporto.

No sábado dia 5 de Março realizou-se também um workshop (com o patrocínio da Examion e da Prodivet) dirigido exclusivamente a médicos veterinários de equinos sobre problemas de dorso e região sacro-iliaca em cavalos de desporto. Oradores espanhóis, Gaspar Castellijns e Imma Roquet aprofundaram a anatomia, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento desta região numa parte teórica e outra prática com cavalos vivos.

O primeiro dia de jornadas terminou em grande, com uma animada prova de vinhos e produtos regionais a qual se prolongou com um divertido jantar onde os participantes tiveram a oportunidade de degustar e apreciar carnes de bovinos, de várias raças, entre as quais Mertolenga, Alentejana, Brava e Aberdeen-Angus.

Foi vital também a importância do extremo profissionalismo do Évora Hotel e também das empresas patrocinadoras, salientando-se a rapidez e a eficiência com que todos se disponibilizaram e esforçaram por corresponder às expectativas e necessidades deste evento!

Estas jornadas veterinárias são fruto da parceria entre o Hospital Veterinário Muralha de Évora e a Equimuralha, entidades de referência na região, que entendem que para além dos serviços médico veterinários que prestam à comunidade, devem ter um papel mais interventivo na sociedade ao nível pedagógico, nomeadamente através do desenvolvimento de diversas acções de formação como esta.

O Hospital Veterinário Muralha de Évora (HVME) iniciou a sua actividade há 15 anos, na sequência de uma parceria entre três médicos veterinários. Em 2008 inaugurou as suas novas instalações, que incluem uma moderna área hospitalar para animais de companhia, uma área de animais de produção com sete brigadas em serviço ambulatório, um laboratório clínico de apoio aos vários sectores, uma área de apoio administrativo e uma área de formação. O Núcleo de Reprodução e Fertilidade e o Núcleo de Formação e Desenvolvimento, onde se inclui a realização das Jornadas, desenvolvidos recentemente, contribuem para a diversificação e prestação de serviços de excelência.

Considerado um projecto inovador na área da prestação de serviços veterinários diferenciados, o HVME engloba serviços de elevada qualidade a animais de companhia, animais de produção, animais silvestres e de zoo, e equinos, sendo os últimos prestados em exclusividade através de uma parceria com a Equimuralha.

A Equimuralha é uma empresa prestadora de serviços médico-veterinários especializada em equinos, a qual funciona em parceria com o HVME. O seu corpo clínico é constituído por dois médicos veterinários que contam com formações específicas na área de medicina e cirurgia, patologias locomotoras, reprodução de éguas e garanhões, sendo também uma referência nacional em dentisteria equina. Esta prestação de serviços é realizada essencialmente em regime ambulatório, para cujo efeito tem à disposição três viaturas totalmente equipadas para as diferentes áreas clínicas, incluindo radiologia computorizada e ecografia.

A equipa do HVME e da Equimuralha conta atualmente com um corpo clínico de 15 médicos veterinários, 5 enfermeiros veterinários e 3 auxiliares de veterinária, e com o apoio de uma área administrativa constituída por uma gestora, 3 administrativos e 4 recepcionistas.

2as Jornadas Enfermagem Veterinária em Animais Exóticos

Este ano, a novidade é que o Monte Selvagem também se juntou às Jornadas do Hospital Veterinário Muralha de Évora, organizando as 2as Jornadas de Enfermagem Veterinária em Animais Exóticos. Estas realizaram-se nos dias 5 e 6 de Março, no Évora Hotel e no Monte Selvagem, respectivamente. As Jornadas incluíram um conjunto de seminários e workshops que visaram capacitar técnicos do mundo da veterinária e estudantes de maior conhecimento na área da saúde animal em animais exóticos, nomeadamente em “Cuidados Pré e Pós Anestésicos em Roedores e Lagomorfos”.

No dia 5, no Évora hotel, realizou-se a componente teórica destas Jornadas, com a presença de 2 dezenas de participantes e a colaboração de 5 oradores. Diversas palestras sobre avaliação e cuidados pré e pós cirúrgicos, fluidoterapia, sedação, anestesia, monitorização e complicações anestésicas, transfusões sanguíneas, sinais de dor, acupuntura no maneio da dor, entre outras, foram abordadas por estes técnicos especializados nestas áreas, que se deslocaram a Évora e contribuíram para o sucesso deste evento.

No dia 6, já no Monte Selvagem, funcionaram os workshops práticos dedicados à Canulação Intra-óssea em Roedores e Lagomorfos. Os participantes foram recebidos no parque e tiveram a oportunidade de aí, na sua sala de tratamentos veterinários, pôr em prática algumas das técnicas apreendidas no dia anterior e adquirirem maior capacitação para a prática da Canulação intra-óssea, técnica usada principalmente para garantir rapidamente um acesso venoso quando há alguma dificuldade no acesso venoso periférico. Tiveram ainda a possibilidade de conhecer melhor o Monte Selvagem.

As Jornadas do Monte Selvagem, decorreram de forma bastante profissional, só possível graças à parceria com o Hospital Veterinário Muralha de Évora e com a Equimuralha, empresas já bastante experimentadas neste tipo de eventos e que apoiaram o Monte Selvagem de forma incondicional, durante todo o processo de preparação e durante o decorrer das Jornadas. E graças também ao excelente acolhimento e profissionalismo do Évora Hotel, que foi incansável para que tudo corresse da melhor forma!

O Monte Selvagem é um parque zoológico e de lazer, que aloja espécies autóctones e exóticas, num total de cerca de 300 animais. Um espaço de respeito pelo ambiente e de protecção da vida animal, complementar à agricultura e é hoje um dos mais característicos espaços nacionais de alojamento e protecção da biodiversidade e de contacto com a Natureza, tendo sido premiado em 2012 com o Prémio de Melhor Empreendimento de Animação Turística do Alentejo. Construído e gerido sob princípios de coerência ambiental e de sustentabilidade, não possui nenhum animal oriundo do seu habitat natural e é um exemplo na redução do consumo de matérias-primas novas. Tem como missão proporcionar habitats alternativos para animais que necessitem e promover o contacto das populações com a Natureza, protegê-la, conservá-la e educar para a sua sustentabilidade.

PROGRAMA

PATROCINADORES

 

Media Partner

 
 
 

Com o apoio de

Prova de Produtos Regionais

Jantar das Jornadas - Degustação de Carnes

ORGANIZAÇÃO